Odontopediatria

Muitas mães se questionam sobre quando levar seu filho ao odontopediatra, e é importante saber que em alguns casos, há necessidade do bebê recém-nascido, com poucos dias de vida, visitar o especialista para, por exemplo, resolver alterações de freio lingual (que interfere no aleitamento materno), dentes que nascem antes do tempo, cistos, dentre outros problemas.

A consulta com o odontopediatra é a chance dos pais receberem diversas orientações sobre a higiene bucal e os hábitos prejudiciais. Nessa primeira ida ao dentista se pode fazer um registro fotográfico do rosto e boca da criança para acompanhar o desenvolvimento ósseo e das arcadas a fim de observar possíveis alterações na cavidade bucal.

Para ampliar ainda mais esse controle, a odontopediatra analisa a dieta da criança. Durante três dias, pais e cuidadores anotam tudo o que o filho comeu e bebeu, com seus respectivos horários. A partir desse registro, o profissional avalia a chance da criança desenvolver cárie, ou seja, em que situação a dieta é capaz de provocar essa doença, pois sabe-se que alimentação desequilibrada, com excesso de carboidrato e de açúcar, estimula a formação de placa bacteriana.

As idas regulares ao dentista fazem parte da manutenção preventiva. Afinal, além de aprenderem a forma correta da higienização, o dentista está sempre atento à pequenas alterações que possam colocar em risco a saúde bucal dos pequenos.

É importante ressaltar que nos primeiros meses de vida, quando os dentes ainda não nasceram, seria coerente a mamãe fazer pelo menos uma vez ao dia, a higienização com gaze enrolada no dedo e soro ou água filtrada.

A limpeza verdadeira somente precisará ser feita quando o primeiro dentinho despontar na cavidade bucal, em média, entre 6 e 8 meses. Estudos mostram que as escovas dentais são melhores do que as dedeiras de silicone, pois os dentes da frente já passam a acumular bactérias que aumentam o risco de cárie. A escova irá também massagear a gengiva para aliviar o desconforto causado pelo nascimento dos dentes.

É nesse período em que se orienta a usar mordedor de gel resfriado na geladeira. Ao ser mordido pelo bebê, o frio irá “anestesiar” sua gengiva e amenizar o incômodo. Essas recomendações muitas vezes são esquecidas pelo pediatra, mas o odontopediatra não deixa escapar.

Mas, tão importante quanto essa limpeza, De acordo com estudos atuais, o uso de creme dental com flúor na quantidade de 1.000 ou 1.100 ppm é indicado e seguro desde o primeiro dentinho, desde que na quantidade adequada: o equivalente a meio grão de arroz até um aninho de idade, mas a frequência diária depende do risco de cárie, que é avaliada pelo odontopediatra.

O controle do uso de creme dental é importante, pois ingerir flúor em excesso não é saudável para os dentinhos. Ao longo do tempo, o flúor absorvido pelo organismo pode fazer com que os dentes permanentes nasçam com manchas. Portanto, a pasta sem flúor pode ser uma alternativa no cuidado diário da criança por outras cuidadores e/ou enviada à escola, por não ser possível fazer o controle apropriado.

Barra da Tijuca
Av. das Américas, 12900 salas 304 e 305
Rio de Janeiro | Tel.: 21 2301-2337

contato@michelecaldasodontologia.com.br

2016 © Copyright Michele Caldas Odontologia
Design - Henrique Pontual & Evaldo Altino